SENAI RN discute com a Nokia implantação de laboratório de formação para a indústria 4.0

16/07/2021   15h21

Emerson Batista e Rodrigo Mello, do SENAI RN, discutiram projeto voltado à indústria 4.0 com o presidente da Nokia no Brasil, Ailton Santos, e executivos da Companhia

 

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no Rio Grande do Norte (SENAI RN) e a Nokia Brasil avançaram em discussões nesta semana, em São Paulo, sobre a implantação de um laboratório de alta tecnologia para formação de profissionais para a indústria 4.0, em Natal.

 

De acordo com o diretor do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER) e do Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis, Rodrigo Mello, há a expectativa de que o laboratório seja criado ainda este ano na estrutura do CTGAS – unidade SENAI especializada em soluções de educação e serviços para o setor industrial – como uma espécie de “mini indústria” que prepare trabalhadores para a “indústria do futuro”.

 

“O laboratório será usado especialmente para formação de pessoas nas tecnologias embarcadas, incrementando os cursos que existem, mas especialmente no lançamento de novos cursos, e servindo também para mobilizar empresas para uso das tecnologias da Indústria 4.0”, disse, após reunião com o presidente da Nokia Brasil, Ailton Santos, e executivos da companhia na última quinta-feira, em São Paulo.

 

“A intenção”, segundo o diretor do CTGAS, “é que o laboratório inclua plantas industriais com tecnologia 5G, utilizando IoT (internet das coisas), computação em nuvem e robótica industrial”.

 

“Como um divisor de águas em tecnologias educacionais no Rio Grande do Norte voltadas à indústria do futuro”, acrescenta.

 

O diretor regional do SENAI RN, Emerson da Cunha Batista, fez coro sobre a relevância do projeto também após a reunião, frisando que “no mundo onde a educação e a evolução industrial passam cada vez mais pelas tecnologias, em especial 5G, é preciso acelerar formas de ensino para propiciar aos alunos e clientes atendidos uma visão do que os espera em qualquer local do continente”.

 

A iniciativa, segundo ele, também impulsiona o domínio da execução de ações por meio da tecnologia à distância.

 

OpenLab

O encontro para definições sobre o projeto foi realizado no SENAI-SP, onde um laboratório parecido foi implantado com a Nokia em setembro de 2020. O chamado OpenLab da Indústria 4.0 é descrito como uma planta de manufatura avançada onde as empresas testam novas tecnologias e os alunos aprendem na prática.

 

Laboratório previsto para o RN deverá seguir modelo de alta tecnologia semelhante ao que SENAI-SP e Nokia implantaram em São Paulo

 

Em um vídeo publicado à época sobre a parceria (confira aqui), o SENAI-SP explica que a ação possibilitou a aplicação da tecnologia 4G ao chão de fábrica, fazendo do laboratório o primeiro ambiente de pesquisa aplicada do país com essa infraestrutura.

 

“Além da tecnologia permitir a integração entre robôs, ela fornece ao gestor mobilidade para controle e monitoramento, permite ao usuário ter informações sobre os seus ativos e demais dados de controle no seu próprio dispositivo pessoal, além de poder usá-lo como instrumento de realidade aumentada, para extrair informações sobre a planta em tempo real”, descreve no vídeo, onde veículos autônomos inteligentes e robôs colaborativos entram em cena entre os destaques da estrutura.

 

No âmbito do ensino, também é destacado que, através do Cyber Compartilhamento, alunos de qualquer unidade no estado poderão operar a planta à distância durante as aulas e que a estrutura fornecida pela Nokia permitirá a conexão 5G no futuro.

 

No RN

No caso do Rio Grande do Norte, o projeto em discussão prevê que a Nokia disponibilize a tecnologia do laboratório e treine a equipe do CTGAS, enquanto ao SENAI caberá a formação de pessoas para o mercado e a mobilização das empresas.

 

“A reunião com a companhia aqui em São Paulo teve a intenção de provocação mútua para a construção de uma solução educacional para o assunto indústria 4.0, com a solução de 5G embarcada. Discutimos muito e construímos essa solução. Agora, vamos às discussões dos caminhos da solução financeira”, observou Rodrigo Mello, sobre o estágio atual do projeto. “Se tudo correr bem, ainda este ano teremos novidades, se possível, com o início das atividades”.

 

Segundo definição da Confederação Nacional da Indústria (CNI), indústria 4.0 engloba um amplo sistema de tecnologias avançadas como inteligência artificial, robótica, internet das coisas e computação em nuvem.

 

A relevância de implantação de um laboratório no RN com essa característica é destacada pelo SENAI em um contexto em que a instituição intensifica sua operação em território potiguar como Hub de Tecnologia e Inovação, o chamado HIT. “O HIT abarca o CTGAS-ER, o Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) – principal referência do SENAI no Brasil para pesquisa, desenvolvimento e inovação para energia eólica, solar e sustentabilidade – e outros negócios que estão por vir”, diz Mello.

 

“É um hub que reforça a presença do SENAI no estado como habitat de inovação, fomentando pesquisas, formação de talentos para atuar na indústria, realização de eventos, utilização de espaços e instalação de empresas inovadoras, em um conceito que inclui mudanças na estrutura e no ecossistema de todas as nossas atividades”.

 

Skip to content
Chat Online!