FIERN e Sebrae lançam Mapeamento do Ecossistema de Inovação do RN

23/10/2020   13h02

 

Inovação é, no âmbito da estratégia para o desenvolvimento econômico e social do país, considerada fator predominante para o incremento de produção, geração de emprego e aumento da competitividade. Neste contexto, a Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), por meio do Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação no Estado do Rio Grande do Norte (NAGI-RN), e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN (SEBRAE/RN) – alinhados na busca por práticas que visam estimular a estratégia inovadora das empresas brasileiras e ampliar a efetividade das políticas de apoio à inovação -, lançam o Mapeamento do Ecossistema de Inovação no estado do RN. O estudo é lançado na semana em que se comemora o Dia Nacional da Inovação (19 de outubro).

 

O Mapeamento, que identifica e caracteriza todos os atores do ecossistema de inovação no Estado do Rio Grande do Norte, foi realizado com apoio e participação de diferentes atores do ecossistema de inovação, como as Universidades públicas – UFRN, UERN e UFERSA -, o Instituto Federal do RN (IFRN), Governo do RN, por meio da Fundação de Apoio à Pesquisa do RN (FAPERN), a Prefeitura do Natal, através do Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação (COMCIT) e o Sindicato das Empresas de Tecnologia da Informação do RN (SETIRN).

 

A ideia é estimular a estratégia inovadora das empresas brasileiras e ampliar a efetividade das políticas de apoio à inovação por meio da interlocução construtiva e duradoura entre a iniciativa privada e o setor público para aumentar a competitividade desses empreendimentos.

 

O ambiente mapeado caracteriza os atores e as instituições (públicas ou privadas), bem como, as ações macros desenvolvidas na temática da inovação. O trabalho prioriza o conhecimento acerca de práticas inovativas, que produz competição, em igualdade de condições, nos mercados externo e interno, de modo a favorecer e incentivar transferência de tecnologias e proteção de propriedades intelectuais. O resultado de tudo isso constrói um ambiente apropriado para aplicação de avanços científicos para incrementos, diversificação e aprimoramento de produtos e serviços com valores agregados.

 

 

“O mapeamento dá condições de entender todos os atores envolvidos no ecossistema de inovação do estado, sua atuação e como estão conectados ou podem se conectar com as empresas do estado. Esse entendimento sobre o papel de cada ator no processo de implantação de inovação é fundamental para ter um retrato das fragilidades e oportunidades nesta área, bem como para saber quais competências cada instituição possui e pode oferecer para consolidar a inovação nas empresas”, destaca o diretor de Inovação da FIERN, Djalma Barbosa.

 

Ele explica que o documento digital caracteriza e identifica o ecossistema de inovação no RN, via mapeamento, com o compromisso de aprimorar os canais de interlocução entre os atores públicos e privados, representantes do governo, academia, instituições de CT&I e sociedade civil, de forma a assegurar o aumento e coordenação dos recursos, políticas, programas, instrumentos e instituições de estímulo à inovação.

 

De acordo com a Gestora do NAGI, Susie Alves de Macedo, o estudo tem por objetivos mapear as competências existentes em cada instituição que atua no ecossistema e disponibilizar produtos, bens e serviços de inovação bens e com potencial de exploração econômica, intercâmbio e transferência de tecnologia para empresas e sociedade. Para, desta forma, potencializar a competitividade das empresas, o desenvolvimento de competências, além de aprimorar os canais de interlocução entre os atores.

 

“O estudo busca estimular a inovação cada vez maior na indústria do RN, nas empresas, para que possamos ser uma mola propulsora destas soluções inovadoras. O NAGI atua nessa articulação estratégica, seja com os fóruns, reuniões e eventos que realizamos regularmente, para fomentar e consolidar o conhecimento sobre competências que podem ser absorvidas no processo de inovação junto as empresas industriais do estado”, destacou Susie Macedo.

 

Paralelo a essa ação, o SEBRAE/RN realizou o Diagnóstico Setorial das Empresas de Tecnologia da Informação da Grande Natal, contemplado também no documento digital, elencando o ecossistema de startups, empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), de games, de provedores de internet e outras vinculadas. No Rio Grande do Norte, segundo os dados divulgados, as empresas da área de tecnologia têm o predomínio de 55,5% do ecossistema inovador, além das startups (35,9%) e dos provedores de internet (7,7%).

 

Para conhecer a publicação, sob a forma de e-book, do Mapeamento do Ecossistema de Inovação do RN, acesse: Ecossistema_Inovador_RN

 

Por Sara Vasconcelos, Unicom/FIERN

Skip to content
Chat Online!